Mulheres antológicas: memória e escolhas históricas na década de 1970

Priscila Nogueira Branco, Anélia Montechiari Pietrani

Resumo


Este artigo tem como objetivo comparar três antologias organizadas por mulheres na década de 70, observando o caráter regional e as escolhas feitas pelas organizadoras: 26 poetas hoje (1976), de Heloísa Buarque de Hollanda; Palavra de mulher (poesia feminina brasileira contemporânea) (1979), de Maria de Lourdes Hortas; e Mulheres da vida (1978), de Leila Míccolis. Como a antologia Palavra de mulher tem um número grandioso de poetas, 45, este artigo também pretende divulgar as poetas escolhidas como forma de resgate histórico, além de começar um debate sobre a produção poética de mulheres nos anos 70 no Brasil, para além da “geração mimeógrafo”, levando em conta a influência da segunda onda feminista e do crescente número de revistas e jornais editados por mulheres naquela década.


Palavras-chave


Antologias; Feminismo; Poesia

Texto completo:

PDF

Referências


DUARTE, Constância Lima. Imprensa feminina e feminista no Brasil : Século XIX : dicionário ilustrado. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

HOLLANDA, Heloisa Buarque de. (1976) (org). 26 poetas hoje, Rio de Janeiro: Aeroplano, 2007.

HOLLANDA, Heloisa Buarque de. (org). As 29 poetas hoje, São Paulo: Companhia das Letras, 2021.

HORTAS, Maria de Lourdes. (org). Palavra de Mulher (poesia feminina brasileira contemporânea). Rio de Janeiro: Fontana, 1979.

LEONE, Luciana di. Não ter posição marcada: Ana C. nos anos 70. In: Remate de Males. Campinas-SP, (36.2): pp. 559-579, jun./dez. 2016

MÍCCOLIS, Leila. Mulheres da vida. (org). São Paulo: Vertente Editora, 1978.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Priscila Nogueira Branco, Anélia Montechiari Pietrani