A perspectiva do internauta para a construção do conceito de hipertexto

Lucas Lima de Vasconcelos

Resumo


Neste trabalho, vinculado ao Projeto de Pesquisa “Gêneros digitais: relações entre hipertextualidade, propósitos comunicativos e ensino (segunda etapa)”, mostraremos resultados de uma parte do estudo sobre o conceito de hipertexto, que divide muitos pesquisadores em dois blocos diametralmente opostos: defensores fervorosos do hipertexto como algo novo e revolucionário; e céticos, que o encaram como algo que já existia em livros impressos. Contudo, apesar do aumento da investigação sobre as práticas que se efetivam na web, não se veem pesquisas que utilizem informações fornecidas pelos internautas para a construção do conceito de hipertexto, sendo esses sujeitos silenciados. No presente estudo, optamos por dar voz aos sujeitos para, a partir dos dados por eles fornecidos, verificar em que medida sua experiência de navegação contribui para a compreensão do conceito de hipertexto. Para isso, procedemos à análise de um questionário aplicado a um grupo de graduandos do curso de Letras da Universidade Federal do Ceará (UFC) e, com base em suas respostas, realizamos um levantamento das atividades mais desenvolvidas na web e dos gêneros digitais mais utilizados. Subsequentemente, tentamos extrair desses graduandos algumas considerações sobre o que eles entendem por hipertexto, partindo da comparação com o texto impresso. Os resultados mostram que a heterogeneidade nas respostas deve-se justamente à transição pela qual passa a sociedade, que migra da cultura do impresso para a instauração da cultura tecnológica. Podemos concluir que, apesar de não obtermos dos sujeitos uma noção mais refinada do conceito de hipertexto, a pesquisa se faz importante para o andamento dos estudos porque esclarece que a destreza com o aparato tecnológico não pressupõe a compreensão desse conceito.


Palavras-chave


HIPERTEXTO; GÊNEROS DIGITAIS; PESQUISA

Texto completo:

PDF


ISSN Impresso: 1414 - 5057

ISSN Eletrônico: 2317 - 7756