Contribuições de Bakhtin para constituição e análise de entrevistas e grupos focais

Alisson Rodrigo Santos, Adelson Fernandes Moreira

Resumo


Apresentam-se referências para a análise do discurso registrado em situações de entrevista e em grupos focais, com base em estudos sobre a filosofia da linguagem de Bakhtin. Na pesquisa em ciências humanas, um dos grandes problemas é como apreender os sentidos atribuídos por sujeitos a experiências vividas por eles com objetos específicos, sem cair no erro de inferir de suas afirmações somente significados gerais. Mikhail Bakhtin tenta elucidar como se dá a construção de sentidos a partir da interação social, mostrando que tanto o discurso interior quanto o discurso exterior verbalizados são constituídos de um mesmo material semiótico, a palavra. Esse autor concebe a consciência como constituída a partir de um fluxo de enunciações nele inserida e dele parte constitutiva. Refuta a ideia de que o conteúdo interior da mente é qualitativamente diferente de sua expressão exterior, e afirma que os sentidos atribuídos a uma enunciação específica não devem ser buscados no interior do indivíduo que a produziu, mas sim nas relações exteriores nas quais ele está inserido.
Critica também a busca de sentidos expressos pelos significados dicionarizados das palavras constituintes das enunciações, indicando o caráter neutro das palavras e seu papel como signo, capaz de variar e tomar sentidos diferentes dependendo do contexto em que se insere. Com base nessas referências, considera-se, em termos metodológicos, um contexto de coleta de dados que eleja como unidade de análise as enunciações dos sujeitos participantes da pesquisa, discutindo suas dimensões social e histórica, além da situação imediata na qual são produzidas, no presente caso, em entrevistas e grupos focais.


Palavras-chave


ANÁLISE DO DISCURSO; ENTREVISTAS; GRUPOS FOCAIS

Texto completo:

PDF


ISSN Impresso: 1414 - 5057

ISSN Eletrônico: 2317 - 7756