Entre estereótipos e novas representações: hábitos culturais das engenharias de computação do CEFET-MG

Marta Passos Pinheiro, Micheline Madureira Lage

Resumo


Este trabalho faz parte de uma pesquisa, de caráter quantitativo, iniciada em março de 2010, sobre o letramento dos alunos do curso de engenharia do CEFET-MG. Nosso objetivo principal é contribuir para a reflexão sobre a representação do profissional de engenharia, no que se refere à leitura literária, mais especificamente, e ao campo artístico de forma mais ampla. Neste trabalho, nos propomos responder a algumas questões referentes ao curso de Engenharia de Computação, oferecido nos campi de Belo Horizonte e de Timóteo. O conceito de “capital cultural”, de Bourdieu, é utilizado como o principal referencial teórico do trabalho. Como resultados parciais, podemos afirmar que, contrariando nossas hipóteses iniciais, os perfis culturais dos jovens do interior e da capital se aproximam bastante. Acreditamos que isso possa estar ocorrendo, principalmente, em função da internet, apontada pelos estudantes, nas duas cidades, como a principal fonte de hobby/lazer.


Palavras-chave


PERFIL DO ENGENHEIRO; CAPITAL CULTURAL; LETRAMENTO LITERÁRIO

Texto completo:

PDF


ISSN Impresso: 1414 - 5057

ISSN Eletrônico: 2317 - 7756