O Twitter e o ensino de língua inglesa em 140 caracteres

Júlio C. Araújo, Sayonara Melo Costa, Messias Dieb

Resumo


Ao longo da última década, as redes sociais conquistaram, gradativamente, considerável espaço e relevância não apenas no que concerne às interações sociais, mas também na propagação de conteúdos e geração de conhecimento, tornando-se nicho para divulgação e pesquisa das mais diversas temáticas. O presente artigo objetiva investigar como as potencialidades de interatividade presentes nos mecanismos enunciativos do Twitter se relacionam com a natureza pedagógica de postagens voltadas para o ensino da língua inglesa. Para tanto, fundamentamos nossas reflexões nos estudos de redes sociais empreendidos por Recuero (2009; 2010), nas reflexões sobre ensino etecnologia de Paiva (2001) e na etnografia virtual de Hine (2000). Para dar conta dessaproposta, selecionamos, no Twitter, um profile publicamente voltado para o ensino de inglês, em torno do qual girou a construção dos dados, por sua vez, categorizados de acordo com o mecanismo de interação que abrigavam. Da análise dos dados emergiram quatro categorias: usos de uma variante informal do inglês (abreviações);fornecimento de conteúdos (links); localização de conteúdos (tags) e divulgação de conteúdos (retweets). Os resultados alcançados evidenciaram que as abreviações, as tags, os links e os retweets, recursos de propagação de informações oferecidos pelo Twitter, são redirecionados no intuito de promover o ensino-aprendizagem de língua inglesa. Acreditamos que a elucidação dessa dinâmica abre caminho para pesquisas que busquem compreender como se dá o compartilhamento de informações nas redes sociais, em especial, no Twitter.


Palavras-chave


Redes Sociais. Twitter. Ensino-Aprendizagem de Língua Inglesa.

Texto completo:

PDF


ISSN Impresso: 1414 - 5057

ISSN Eletrônico: 2317 - 7756