Limiar e limite no percurso de constituição da educação a distância

Daniervelin Renata Marques Pereira

Resumo


Este estudo apresenta uma análise de enunciados encontrados na mídia sobre o tema “Educação a Distância” (EaD) como um fenômeno no limiar entre o velho e o novo e,por isso, entre as práticas escolares tradicionais e uma entidade considerada singular.Com base na semiótica francesa e seus desdobramentos mais recentes, dedicamos ao estudo de traços presentes nos discursos revelados em três reportagens de diferentes jornais e revistas e duas peças publicitárias, datados de 2010, tendo em vista uma imagem de EaD convergente. Dividimos esta análise em três traços mais recorrentes: 1) duração de um curso on-line; 2) formas que viabilizam o curso on-line; e3) relação entre professor e aluno. Podemos dizer que não há um estado bem definido e distinto na imagem da EaD em relação ao presencial, já que o que encontramos pode ser classificado como uma fase de progressividade, entre o emparelhamento de dois estados e o estabelecimento de um estado final, de fusão. Nesse sentido, a articulação das categorias de tempo, espaço e pessoa indicam, nesse discurso, a necessidade de se ver a nova prática a partir de formas da tradição escolar, negando, assim, suas peculiaridades. O resultado é uma imagem de prática impura, pela mescla de valores de outras realizações que nela se manifestam.

 


Palavras-chave


Educação a Distância. Mídia. Semiótica Francesa.

Texto completo:

PDF


ISSN Impresso: 1414 - 5057

ISSN Eletrônico: 2317 - 7756