Sob a narrativa da montagem do funk carioca: o celular como um acervo musical

José Carlos Teixeira Júnior

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo principal discutir o aparelho celular como um possível recurso no ensino de música, apesar de sua proibição nas salas de aula do município do Rio de Janeiro. Sob a narrativa da montagem do funk carioca, prática musical da diáspora negra fortemente presente no cotidiano de muitas escolas municipais cariocas, esse aparelho deixa de se apresentar apenas como um meio de comunicação e de entretenimento, inibidor de concentração e memorização, para também compor um verdadeiro acervo musical. Um acervo vivo que entre seus movimentos permanentes de gravações (e desgravações) circula por um amplo e complexo circuito comunicativo que rasura e tensiona de uma forma muito clara a obviedade, naturalidade e historicidade dos pressupostos neocoloniais que sustentam a lei responsável em proibir sua presença nas salas de aula do município do Rio de Janeiro.

 


Palavras-chave


Educação. Funk. Celular.

Texto completo:

PDF


ISSN Impresso: 1414 - 5057

ISSN Eletrônico: 2317 - 7756