A modernização da Construção Civil e os impactos sobre a formação do engenheiro no contexto atual de mudanças

Antônio de Pádua Nunes Tomasi

Resumo


As mudanças ocorridas no mundo do trabalho nas últimas décadas, motivadas pelo desenvolvimento tecnológico, mas especialmente por políticas sociais e econômicas em âmbito internacional, têm produzido severos impactos sobre os setores produtivos e a formação dos novos profissionais, dentre eles os engenheiros. Tais mudanças parecem ter como ponto de partida o reconhecimento social da “pane” que explicaria a ruptura com o paradigma da operação e a adoção do “acontecimento”, nova referência da produção e das condutas humanas. Em outras palavras, trata-se de não mais procurar eliminar a  “pane”, mas aprender a conviver com ela, o que exige uma nova mentalidade dos trabalhadores. Embora a Construção Civil tenha sido considerada um setor atrasado, talvez devido à sua especificidade que não lhe permitiu render-se ao taylorismo e adotou um paradigma próprio de produção, assim como de modernização, parece, hoje, mais preparada para as referidas mudanças que o restante da indústria. Resta saber, contudo, se os esforços atuais de modernização da Construção Civil no Brasil, com importantes reflexos na formação do engenheiro, levam em conta as especificidades do setor ou repetem a busca vã da neo-taylorização.


Palavras-chave


OPERAÇÃO; ACONTECIMENTO; ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL; COMPETÊNCIA; SISTEMAS DE PRODUÇÃO

Texto completo:

PDF


ISSN Impresso: 1414 - 5057

ISSN Eletrônico: 2317 - 7756